7a BIENAL DE SÃO PAULO | Mutabile Arquitetura

Projeto for premiado com o 3° lugar no Concurso da 7ª Bienal de São Paulo. Equipe: Isabel Brant, Bernardo Araújo, Éder Andres, Mateus Andreatta, Tito Campos, Gabriel Castro. Orientação: Maria Lucia Malard O projeto discute as relações espaciais da cidade informal, tendo como objeto de estudo conurbação de favelas “Aglomerado da Serra”, situado em Belo Horizonte. Em torno de um bilhão de pessoas habitam espaços semelhantes às favelas brasileiras no mundo e cabe a todos nós buscarmos soluções para os problemas deste fenômeno urbano. O projeto oferece espaços públicos e a criação de parques públicos e áreas de preservação ambiental ao longo dos talvegues e fundos de vale. A definição desses locais garante a preservação das nascentes e dos cursos d’água existentes, além de impedir a ocupação de áreas indevidas, já que tais regiões normalmente apresentam declividades acima de 50% e costumam apresentar risco de deslizamentos. Ao longo do córrego haveriam barragens geradoras de energia que controlariam a vazão do curso d’água, além de terem um grande potencial como área de recreação e de permitirem a passagem de uma encosta para a outra do vale. Os parques localizados no limite entre o Aglomerado e a cidade formal seriam áreas de transição, promovendo uma nova relação entre os mesmos.